Peelings Químicospeeling-shutterstock_184278512

Peeling é técnica já consagrada na dermatologia e usada há décadas para melhorar a aparência da pele.

O peeling químico melhora a aparência da pele pela aplicação de uma solução química na pele, que causa o descolamento das suas camadas mais superiores. Dependendo da profundidade e intensidade do peeling, a nova pele pode ser mais macia, menos enrugada e até mesmo da cor.

A pele é uma “barreira” de proteção para o nosso organismo, logo, nem todos os produtos aplicados nela serão absorvidos totalmente ou de maneira regular.
Com o uso seriado dos peelings, conseguimos um efeito de que a pele “afine” se organize melhor e absorva um pouco mais os produtos dermatológicos aplicados sobre ela e com isso consigamos um resultado maior no tratamento de nossa pele.

Dermatologistas podem aumentar os resultados do peeling químico com técnicas de laser. Ou, podem combinar o peeling com outros procedimentos, preenchimentos, toxina botulínica. Ao longo da evolução seu dermatologista irá lhe ajudar a decidir o melhor para seu resultado.

O que o peeling químico faz?

. Reduz linhas finas, abaixo dos olhos e ao redor dos olhos.

. Trata cicatrizes leve e alguns tipos de acnes.

. Desbotamento da pele, como manchas do sol, manchas de pele.

. Manchas da pele como as sardas, ou ainda, manchas ocasionadas pelo sol ou gravidez, podem melhorar (amenizar) com os peelings.

. Recupera a textura e cor da pele.

O processo do peeling químico:

O peeling químico pode ser aplicado principalmente na face, mas também no pescoço, colo, mãos e pernas. Peeling varia de intensidade dependendo do local onde será aplicado.

Há três tipos de peelings: superficial, médium ou profundo.

Na maioria das vezes um peeling químico é feito no consultório médico. Isto envolve:

. Limpeza da pele para remover o excesso de óleo.

. Escolher o agente químico a ser usado que atenda a profundidade de alcance desejada. Ex: ácido glicólico, tricloroacético (ATA), ácido salicílico, ácido retinóico, ácido lático ou ácido carbólico (Fenol). Seu dermatologista irá discutir com você a escolha para um melhor resultado.

Durante um peeling, muitos pacientes sentir a pele esquentar ou queimar por uns 10 minutos. Um peeling mais profundo pode ser mais doloroso e você pode precisar de um medicamento analgésico. Mais de uma sessão pode ser necessária para melhores resultados.

Cuidados após o procedimento:

Independente do tipo de peeling feito, deve ser evitada exposição solar sem proteção para evitar manchas na pele.

Um peeling superficial, causa apenas uma vermelhidão leve na pele. O ressecamento e descamação da pele duram de três cinco dias.

Peeling médios ou profundos podem resultar em inchaço e até crostas. Estas crostas escurem e se soltam. Peelings médios podem demorar de sete a dez dias para recuperação total e o peelings profundos demoram mais para recuperar, de dez a quinze dias.

Possíveis complicações:

Pessoas com certos tipos de pele têm maior risco de desenvolver mudanças temporárias ou duradouras na cor da pele após o tratamento. Mesmo pequena, existe a chance de cicatrizes após o peeling. Se essas cicatrizes ocorrerem, muitos tratamentos podem ser aplicados para tratar esta condição. Pessoas com história de quelóides são mais suscetíveis a cicatrizes.

Fale com seu dermatologista se você tem algum deste problema para tomar precauções.

O que o peeling não faz?

. Não trata flacidez de pele moderada ou importante.

. Remove cicatrizes profundas.

. Não fecha os poros ou remover vasos visíveis na pele.

Quantas sessões são necessárias?
Com um sessão já é possível observar a melhora na pele, mas o ideal é que sempre que possível façamos várias sessões seguidas.

.

.


Para melhores resultados e com segurança procure sempre um especialista.


O médico dermatologista, é o especialista que realiza o diagnóstico, tratamento clínico e cirúrgico das doenças de pele, cabelos e unhas e exerce e também é o profissional capacitado na área de estética médica.


.