Melasma é uma descoloração da pele que aparece como manchas escuras, de forma irregular. Afeta geralmente a região de malares, testa, nariz, lábio superior e até antebraços e pescoço. Essas manchas frequentemente se desenvolvem lentamente.

Melasma é um problema comum da pele. Ele não causa quaisquer problemas físicos ou sintomas além da descoloração, apenas o incômodo estético, que pode ser bem intenso em alguns casos.

A exposição ao sol piora o melasma, por isso, muitas vezes tende a piorar no verão e melhorar durante o inverno.

Quem desenvolve Melasma?
O Melasma ocorre mais freqüentemente em mulheres. Apenas 10% das pessoas que desenvolvem o melasma são homens, mas quando estes são afetado, geralmente o quadro tende a ser mais intenso.
Algumas pessoas são mais suscetíveis de desenvolver o melasma. São elas:
– Pessoas com pele com tons mais escuros, incluindo aqueles da América Latina, Hispânicos, Ásia, Mediterrâneo, Norte da África, Oriente Médio, e Região Sul da África.
– Aqueles que vivem em áreas de intensa exposição solar.
– Pessoas descendentes de pessoas que tiveram melasma.

Causas:
A causa para o melasma não é clara. É provável que ocorra quando as células responsáveis pela coloração da pele (melanócitos) produzem muito pigmento (cor).
São muito fatores que contribuem para o melasma. Estes fatores incluem:
– História familiar
– Gravidez
– Cosméticos ou produtos de cuidados para pele.
Medicamentos fototóxicos (drogas que fazem a pele ficar mais suscetível a danos pela luz).
– Exposição solar sem proteção
– Stress

Para as mulheres é provável que os hormônios sejam o “gatilho” para o melasma. O melasma chamado de “cloasma” ou “marca de gravidez” pode ser resultado do aumento da produção hormonal. O principal fator de risco no homem talvez seja a exposição solar e a história familiar de melasma.
A exposição solar pode disparar o melasma porque o raio ultravioleta (UV) estimula os melanócitos. Apenas um pequena exposição pode fazer o melasma retornar, mesmo que já estivesse em faze de clareamento.
A exposição solar pode ser a principal razão por pessoas com melasma desenvolvem sempre e sempre a mesma doença.
Irritação de pele pode causar um aumento dos melanócitos em todas as pessoas.  Chamamos isto de hipertrofia pós-inflamatória.
Melasma não é associado a doenças internas ou mau funcionamento dos órgãos.

Diagnóstico:
O dermatologista diagnostica (detecta) o melasma na maioria dos pacientes através do exame físico, visual, e/ou com auxílio de lâmpadas especiais. Em raros casos, outros problemas de pele podem parecer como se fosse um melasma. Seu dermatologista pode necessitar fazer uma biópsia para descartar esses outras casos.

Tratamento:
Algumas vezes ele pode sumir sozinho. Isto especialmente quando o “gatilho” da lesão desaparece. Alguns pacientes, entretanto, tem isto por anos ou a vida toda. Se o melasma for desaparecer sozinho este paciente irá receber o tratamento. Várias opções de tratamentos estão disponíveis.

. Agentes clareadores de pele:
O clareador mais comum no mercado é a hidroquinona. Seus efeitos geralmente ocorrem em 5 a 7 semanas. O tratamento geralmente dura 3 meses, a fase de clareamento. Nunca se esquecer que depois terá que ser feita a fase de manutenção, para que as lesões não voltem.
Seu dermatologista pode combinar clareadores de pele para aumentar o efeito clareador.
Protetor solar é essencial para o tratamento para evitar exposição acidental durante as atividades, de dirigir, andar na rua ou sentar perto de janelas.

. Peelings químicos:

A maioria dos medicamentos tópicos que contém componentes ácidos (como ácido glicólico) pode remover o melasma. Peelings químicos envolvem a aplicação de substâncias químicas para induzir a exfoliação da pele (remoção de células mortas). Um Peeling mais forte tende a serem mais efetivo no clareamento da pele, mas possui um risco maior de ter efeitos colaterais. Isto inclui queimaduras, excesso de peelings, cicatrizes e piora das manchas escuras. Sempre procure um bom dermatologista para melhores resultados com segurança.

. Laser:
Lasers podem ser uma opção quando a maioria dos tratamentos não funcionaram ou não foram suficientes para melhorar o melasma. Certos lasers são mais efetivos que outros no clareamento do melasma. Dois lasers são usados para tratar o melasma: um destrói os melanócitos e o outro remove o pigmento deixado pelo anterior.
Consulte o dermatologista para saber se este procedimento tem indicação para você.

. Fase Manutenção do tratamento:
Embora os tratamentos sejam efetivos, eles podem não curar sempre o melasma. A descoloração da pele pode não sumir totalmente. Dependendo de quanto pigmento você tem ou quanto seja sensível seja sua pele, você poderá precisa de um tratamento mais prolongado para obter um bom resultado. Isto pode ser de meses. Entretanto, a eficácia varia de paciente para paciente.
Mesmo se o seu melasma clarear, você deve continuar o tratamento de sua pele para manter o resultado. Seu dermatologista pode chamar isto de “fase de manutenção”. A terapia de manutenção pode prevenir o retorno do melasma.
Complicações podem ocorrer quando procedimentos não são tolerados pelo tipo de pele do paciente ou não são executados por um dermatologista. Isto é muito importante para seguir cuidadosamente com seu dermatologista as direções durante o tratamento para garantir o melhor benefício e evitar irritações de pele e outros efeitos colaterais.

. Proteção solar:
Além da medicação, o dermatologista irá recomendar o uso diário de protetor solar. Isto é importante porque alguns dos raios UV entram na pele mesmo através das nuvens e das janelas.
Quando escolhemos um protetor solar, olhamos para seu espectro de ação (proteção contra raios UVA e UVB). Ele pode ter um FPS (Fator de Proteção Solar) de 30 ou mais. Ainda melhor se o produto tiver óxido de zinco ou óxido de titânio. Estes ingredientes bloqueiam fisicamente os raios do sol.
Depois do clareamento do melasma, continue a usar o protetor solar diariamente (manhã, antes do almoço e tarde), SEMPRE. Isto ajudar a previnir o retorno do melasma.
Quando tratamos melasma, é muito importante não usar produtos que irritem a pele. Alguns cosméticos (sabonetes faciais, cremes, maquiagens, etc) podem irritar a pele e piorar o melasma.
Tratar o melasma frequentemente requer uma abordagem completa sobre os cuidados médicos.

.

.

 


Para melhores resultados e com segurança procure sempre um especialista.


O médico dermatologista, é o especialista que realiza o diagnóstico, tratamento clínico e cirúrgico das doenças de pele, cabelos e unhas e exerce e também é o profissional capacitado na área de estética médica.


.